Amizade improvável

Algures no oceano, habitava uma lula-gigante de cor violeta chamada Tentáculos. Era órfã de mãe e de pai (perdeu-os num acidente com um cachalote – conhecido predador de lulas) e por isso era extremamente independente. Começou a ler e escrever com tenra idade, largou as fraldas precocemente aos dois anos e dormia sempre às escuras! Todavia, o facto de ser destemida não era sinónimo de imprudência… A Tentáculos não dormia em serviço! Dormia com um olho fechado e outro aberto, que o mar não é um habitat para meninos… Os cachalotes atacavam a qualquer momento e a prevenção é amiga da saúde! Apesar de órfã, a Tentáculos não estava sozinha pois tinha dois grandes amigos, um polvo e um choco, o Perninhas e o Chocolouco respetivamente! Também conhecia muitas lulas com quem jogava damas e dominó! Era, portanto, uma lula-gigante feliz apesar do seu infortúnio…

Por sua vez, no mais profundo dos oceanos, habitava o Herculano, um cachalote bebé. Tal como a Tentáculos, o Herculano também era órfão, só não tão valente como a Tentáculos! Vivia amedrontado e o que lhe ia valendo era, de facto, o seu tamanho: apesar de ser bebé, era vinte vezes maior do que a Tentáculos, pelo que isso por si só era já uma grande vantagem! Os perigos eram muito menores para o Herculano!

Um belo dia, estava a Tentáculos a jogar às escondidas com o Perninhas e o Chocolouco quando se esconde atrás do que ela pensa ser uma pedra gigante. Ela achou a pedra muito lisa e macia, era o esconderijo perfeito, eles nunca a encontrariam e ela estava bem instalada!

Contudo, a pedra começou a mexer-se e a Tentáculos muito confusa afasta-se e dá de caras com uns grandes olhos! A pedra gigante era na verdade um cachalote bebé: nem mais nem menos que o nosso amigo Herculano! A Tentáculos pensou estar em perigo e gritou por ajuda mas ao ver o susto que pregou ao cachalote que já fugia a toda a velocidade, ficou intrigada! Logo surgiram o Perninhas e o Chocolouco que correram em seu auxílio!

– Vocês viram o mesmo que eu vi? – perguntou a Tentáculos muito admirada.
– Não, o que foi? – Responderam os amigos em uníssono.
– Um cachalote enorme saiu disparado com medo de mim! – respondeu a Tentáculos.
– Oh lá está ela… já sabemos que és corajosa e tudo mais. Mas não exageres. Os cachalotes não têm medo de lulas! – disse o Perninhas condescendente.
– Este teve! Isso vos garanto! – Afirmou ela muito convencida!
– Ok não te vamos contrariar. – respondeu o Chocolouco. – podemos continuar o jogo?

E lá continuaram até serem horas de dormir. Mas a Tentáculos estava muito agitada, sabia exatamente o que se tinha passado e não conseguia deixar de pensar… Porque motivo teria aquele cachalote fugido? Ela era apenas uma lula, alimento predilecto dos cachalotes… jamais teriam medo dela, no máximo ela é que se devia ter assustado!
O que a nossa amiga não sabia é que este cachalote era vegetariano, alimentava-se apenas de algas e verdes… era por isso muito mais pequeno que os outros cachalotes da sua idade e magro dada a sua dieta! Além disso, era muito solitário, não tinha amigos da mesma ou de qualquer espécie… Daí viver amedrontado.

A natureza destemida e curiosa da Tentáculos não lhe permitia esquecer aquele episódio. Precisamente por se conhecer bem e saber que não descansaria enquanto não resolvesse aquele mistério, decidiu meter mãos, ou tentáculos à obra e foi à procura do Herculano. Foi dar com ele, no mais profundo dos mares, envolto em algas a tiritar de medo. Aproximou-se e antes que ele desse conta e fugisse gritou:

– Ei! Não fujas porque venho em paz! Tréguas?

O Herculano escondeu-se mais atrás das algas e com os olhos arregalados nem respondeu…

– Tenho pensado em ti. – Continuou a Tentáculos – Mas não encontro resposta para as minhas duvidas por isso aqui estou para que mas esclareças! Porque é que tens medo de mim? Eu sou pequena e tu és enorme. Os teus semelhantes andam sempre atrás de nós lulas, chocos, polvos… Menos tu! Podes explicar por favor? – Questionou.

O Herculano retorquiu a medo: – Eu não sabia disso. Eu não me dou com animal nenhum, fujo de todos e alimento-me apenas de algas…

– Como não? Não tens mãe nem pai? – perguntou a Tentáculos cada vez mais incrédula.

– Não, eu sou órfão… Os meus papás morreram capturados… – Explicou o Herculano muito tristonho.

– Oh isso explica tudo! – Respondeu a Tentáculos já mais esclarecida. – Tu és diferente de todos os outros da tua espécie!

Estava a Tentáculos a falar e na sua direcção vai um tubarão-bebé pronto para atacar. Mas o Herculano gritou a tempo “Cuidado!” e a Tentáculos mergulhou mesmo a tempo de escapar às mandíbulas do perigoso animal. Rapidamente se escondeu perto do cachalote e viu o tubarão, que é muito forte e perigoso mas pouco inteligente, a afastar-se. Então já bem perto do Herculano, a Tentáculos agradeceu-lhe encarecidamente:

– Oh tu salvaste-me! És mesmo muito diferente! Como te chamas? – Questionou a Tentáculos.
– Herculano e tu? – Retorquiu o cachalote bebé já mais tranquilo por perceber que tinha feito uma amiga.
– Herculano, os teus dias solitários terminaram! Vais viver comigo e com os meus amigos! Nunca mais ficarás só! Tomarei conta de ti até ao fim dos meus dias! Não só não és nenhum predador como és um herói! Muito obrigada! – dizendo isto a Tentáculos firmou uma promessa que cumpriu até morrer de velhice!

Assim, o Herculano nunca mais viveu sozinho, mas sim rodeado de lulas, chocos e polvos, teve uma vida muito preenchida e feliz! Privado de carne mas com muito amor oriundo de uma amizade que não era nada provável!

Foram todos felizes para sempre!

*AMG*

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s