Fraldas e trocador

Inicialmente mudávamos a fralda da nossa pequenina na cómoda IKEA mais vendida de sempre mas com o tempo optei por ter o trocador/banheira Cam volare montado no quarto das meninas e é bastante mais prático. Na cómoda acabava sempre debruçada sobre ela, no trocador não, porque é mais alto e fico de frente para ela. Desta forma, também se vai habituando ao espaço que futuramente irá partilhar com a irmã!

No trocador tenho sempre as fraldas da marca libero ou dodot sensitive, o halibut derma creme para todas as mudas e o halibut pomada para a fralda da noite: é mais espesso e protege mais. As fraldas libero são caras mas quando estava grávida recebi uma dica preciosa de uma amiga também ela mamã e nunca mais me esqueci: desde que a Benedita nasceu que as compro sempre no site da Farmácia Sá da Bandeira e são de facto substancialmente mais baratas que em qualquer outro lado.

Tenho ainda as toalhitas waterwipes para os cocós maiores e compressas não esterilizadas do continente, um recipiente com água para humedecer as compressas e uma chupeta em caso de emergência! 🙂

A Benedita só ficou com o rabiosque ligeiramente assado uma vez, tinha meia dúzia de dias e bastou colocar o halibut pomada que passou logo, nunca mais aconteceu, por isso estou satisfeita com estes produtos.

Na prateleira de baixo guardo ainda o creme de banho e creme hidratante, ambos da marca Barral. Uso desde o primeiro banho dela e nunca tivemos problemas. Tenho também o spray Rhinomer  (com intensidade específica para recém nascidos) e passei a aplicar em todos os banhos, aconselhada pela pediatra, em cada uma das narinas dela. No momento fica meio atrapalhada mas são uns segundos e passa. Isto faz com que mantenha as vias respiratórias limpas, evita otites e até ajuda a que mame melhor.

Por cima do colchão do trocador coloco sempre uns protectores descartáveis da marca Moltex à venda no site Bebitus. Sempre que acontecem uns acidentes é só embrulhar tudo e colocar no lixo.

Por fim, para não ter fraldas sujas espalhadas pelo chão compramos um balde e recargas Sangenic da Tommee Tippee à venda na Toysrus .

É importante ter tudo à mão para evitar afastarmo-nos deles quando estão no trocador porque se com um mês pouco se mexem, a partir daí é mesmo muito fácil caírem. A maior parte de acidentes com recém nascidos acontece no muda-fraldas e a maioria dos pais diz que apenas viram costas e numa fração de segundos o bebé cai.

Existem soluções espetaculares para ter tudo organizado de forma prática, por isso seleccionei algumas imagens para vos mostrar, espero que sejam úteis.

img_4946

*AMG*

Ilusões de grávida

Durante a minha gravidez imaginava a minha licença de maternidade como um período tranquilo, em que iria desfrutar em pleno da minha bebé, dormir umas belas sestas durante os sonos tranquilos da pequenina, ou ver uns filmes quando não tivesse sono! Pensava ainda que poderia eventualmente aprender um novo ofício tipo fazer croché, ou tricotar!

Período tranquilo? Tão querida! Belas sestas? Que sonho! Fazer croché!!! Ha ha ha

licenca de maternidade

Entre amamentar e pôr a criança a arrotar, mudar a fralda e a roupa porque são poucas as vezes em que não se suja toda; conseguir que adormeça, já lá vai uma hora. Depois ainda há que lavar e esterilizar biberões (sim também dou leite adaptado – matem-me já); comer qualquer coisa já que ela insiste em querer mamar na hora em que eu me preparo para meter algum alimento à boca, e arrumar a loiça… a criaturinha acorda e começa tudo outra vez!

Já para não falar das outras situações do dia a dia como separar as roupas para lavar, tirar a roupa do estendal, estender a que entretanto já lavou; cozinhar, fazer a cama e outras tarefas espetaculares que enquanto o pai esteve de licença eram divididas mas passados 15 dias (uma eternidade), tenho de as fazer sozinha!

Tão ingénua… tomar banho com direito a lavar cabelo sem ser interrompida por um choro sonoro é uma sorte, e ela queria ver filmes e fazer croché!

Hoje quando penso nisso só me apetece esbofetear-me perante tamanha ingenuidade!

Mas fora de brincadeiras, numa coisa acertei, mesmo com todas as dificuldades inerentes sobretudo da privação do sono, estou a desfrutar muito da minha bebé como sei que não terei novamente oportunidade e portanto não prescindia de um único dia deste meu direito de mãe!

*AMG*

A Mãezónia e eu

É com chave de ouro que inauguro este blogue! Vale o que vale, mas o meu blogue de maternidade favorito acaba de publicar um texto da minha autoria!

Partilho para que, se ainda não conhecem A Mãezónia possam seguir, não deixem de o fazer, têm textos brilhantes da Diana e ilustrações maravilhosas da Rita, ambas autoras do blogue que já conta com um livro publicado… e depois conta ainda com a participação de outras mamãs que, tal como eu fiz, enviam as suas considerações sobre a vida selvagem que é ter filhos!

Neste texto, descrevo de forma cómica como são as noites com um recém-nascido, e altero um ditado popular português conhecido para “Á noite todos os pais são parvos“, conseguem adivinhar qual o ditado original? 🙂

*AMG*